Marketing e Tecnologia

Já escrevi algumas vezes sobre a teoria criada por Chris Anderson, a respeito da cauda longa. Uma teoria desenvolvida há mais de 2 anos, mas ainda difícil para muitos de compreende-la.

Mas é importante afinal compreender essa teoria? Ou é mais um modismo tecnológico inútil?
Não me parece de modo algum ser um modismo, visto que muitos a discutem e outros a colocam em prática.

Eu quero neste post falar um pouco sobre os efeitos da tecnologia no marketing. Ou pelo menos, nos 4 P’s do Marketing.

Os 4 P’s do Marketing definem os fundamentos básicos desta ciência:
Produto, Preço, Promoção e Praça.

Será que devemos analisar estes 4 P’s da mesma forma, antes e depois da tecnologia como a conhecemos hoje?
Vamos tentar apenas iniciar rapidamente uma reflexão sobre os 4 P’s no mundo tecnológico:

Produto – Ele não precisa mais ser físico, feito de átomos. Ele pode ser oferecido como bit, e se transformar em átomo apenas no momento da compra. Temos alguns exemplos clássicos, como a Amazon, que muitas vezes imprime o livro apenas quando ele é comprado, o site Lulu.com e o brasileiro Camiseteria.

Preço – Bom, sem custos de estocagem, sem intermediários na venda, entre outras coisas, não há dúvidas que o preço do produto muda.

Promoção – Sem dúvida muitas campanhas que tem como meio principal a tecnologia são campanhas mais baratas, mas diretas, mais eficientes. Um exemplo já mostrado neste blog foi a propaganda realizada pela EA Sports sobre o jogo Tiger Woods PGA Tour.

Praça – Bom, também não há dúvidas que um ponto de venda físico só atende as pessoas num raio de circuferência limitado, físico. E no mundo digital, é possível atender ao mundo todo, em qualquer lugar.

Então, será que depois da tecnologia, devemos ainda ver o marketing com os mesmos olhos do século XX?

Be Sociable, Share!

Você poderá gostar também:



Deixe seu comentário