Voto nulo? Anule essa idéia!

Não seja o palhaço votando nulo. Vote consciente - Vote Válido!

Não seja o palhaço votando nulo. Vote consciente - Vote Válido!

É muito comum nas eleições as pessoas iniciarem campanha para o voto nulo, como se fosse uma forma de se fazer um protesto. Mas é isso mesmo? Será que o voto nulo não é justamente o contrário, ou seja, é apoiar e favorecer aqueles que você menos gostaria de estar favorecendo?

Voto nulo não é voto de protesto. É voto de favorecimento. Entenda abaixo as razões e compartilhe este texto, fazendo com que as pessoas reflitam sobre o nosso real papel como cidadãos e como eleitores que querem melhorar o país.

O que você irá aprender neste texto:

  1. A matemática do voto nulo – o verdadeiro poder do voto nulo
  2. Voto nulo não anula a eleição
  3. Voto nulo x votar no “menos pior”

1. A matemática do voto nulo – o verdadeiro poder do voto nulo

Imagine que nesta eleição temos 3 candidatos. Fulano, Beltrano e Cicrano. Segundo a lei, para não haver segundo turno nas eleições, é preciso que um candidato obtenha 50% + 1 dos votos válidos. Então imaginemos cenário (A):

  • Fulano -3 votos
  • Beltrano – 5 votos
  • Cicrano – 2 votos

Neste cenário (A), as eleições vão para o segundo turno, pois Beltrano não conseguiu 50% + 1 dos votos válidos. Mas imaginemos agora o cenário (B):

  • Fulano -3 votos
  • Beltrano – 5 votos
  • Cicrano – 1 votos
  • Votos inválidos (brancos e nulos) – 1 voto

No cenário (B), um eleitor decidiu anular o voto acreditando que estava protestando. Mas o que ele fez foi mudar o cálculo, favorecendo assim o candidato que mais votos possuia e fazendo-o vencer as eleições logo no primeiro turno, pois Beltrano agora possui 50% + 1 dos votos válidos, que cairam de 10 votos para 9.

Primeira lição: voto nulo é voto de favorecimento (detalhe: alguns candidatos adoram quando votam nulo. Agora você sabe a razão)

2. Voto nulo não anula a eleição

Outro mito que circula na internet é que o voto nulo é capaz de anular uma eleição. Tudo isso por conta do artigo 224 do Código Eleitoral que diz que:

“Se a nulidade atingir a mais de metade dos votos do país nas eleições presidenciais, do Estado nas eleições federais e estaduais ou do município nas eleições municipais, julgar-se-ão prejudicadas as demais votações e o Tribunal do prazo de 20 (vinte) a 40 (quarenta) dias.”

O problema é: isso é inválido para cargos legislativos. Se 99% das pessoas votarem nulo e 1% em um vereador, o vereador é eleito, por exemplo.

E para cargos executivos? Isso também é inválido. O TSE já decidiu sobre os votos nulos e brancos e deixou bem claro:

“O Tribunal Superior Eleitoral decidiu que os votos nulos por manifestação apolítica dos eleitores (protesto) não acarretam a anulação de eleição.”

A nulidade das eleições, referida no artigo 244, diz respeito a qualquer corrupção que possa ocorrer durante as eleições, como urnas violadas, etc. Não diz respeito aos votos invalidados pelos próprios eleitores.

Segunda lição: O voto nulo é totalmente ineficaz como voto de protesto. Não anula eleição e favorece os candidatos com mais votos (em geral, aqueles que você menos quer favorecer)

 3. Voto nulo x votar no “menos pior”

Algumas pessoas argumentam assim: “Não existem bons candidatos. De que adianta votar no menos pior? São todos ladrões”.

De fato, os políticos deste país estão com a credibilidade baixa. Não dá para mudar isso da noite para o dia. Mas alguém vai ter que assumir o cargo. Decidir pelo “menos pior” implica uma série de coisas:

  • Para decidir, você terá que ler sobre todos eles, discutir sobre eles (escolher o “menos pior” no chute não é escolher o “menos pior”);
  • Você estará validando seu voto;
  • Você estará aumentando as chances de um segundo turno;
  • E se o “menos pior” vencer no primeiro turno porque todos resolveram votar no “menos pior”, então o melhor de todos os candidatos foi o escolhido para assumir o cargo;
Mostre para os políticos quem realmente está no poder - Vote válido

Mostre para os políticos quem realmente está no poder - Vote válido

Estamos na Era do Conhecimento. Antigamente se dizia que informação é poder. Isso não vale mais nos dias de hoje. Compartilhar informação é Poder. Por isso os governos querem a todo custo controlar a internet. Graças a internet estamos cada vez mais ativo em nossos governos. Na Primavera Árabe, governos foram derrubados e o papel da internet e do compartilhamento foi muito grande. Ok, mas o que isso tem a ver com as eleições e com o “menos pior”?

Simples: parar para decidir por um candidato envolve divulgar informações sobre eles, conversar, ler, descobrir o que eles possuem de negativo e positivo. Proporcionar um segundo turno nas eleições envolve mais tempo para que novas informações sobre os candidatos apareçam. Eles vão brigar entre si, vao deixar vazar alguns podres, se for o caso. E isso é importante para nós, cidadãos-gestores de nossas cidades. O esclarecimento político é uma forma de diminuir o poder dos governos. De cercar e encurralar cada vez mais os políticos desonestos e as mídias desonestas e manipuladoras. A lei da ficha limpa é um exemplo. Uma lei de iniciativa popular que aos poucos muda a política do nosso país. E com os candidatos sabendo que nós estamos de olho neles, não porque votamos nulos e favorecemos a ele com a nossa preguiça, mas sim, porque estamos ativos na rede pesquisando, divulgando sobre eles, cobrando, eles sabem que o nosso poder é cada vez maior. Que tal outra lei, para impedir o voto secreto no senado? E na camara de vereadores?

Aumentar o nosso poder de pressão popular envolve expor em nosso voto válido a nossa opinião. Mas não expor no mero chute. Expor compartilhando informação! Expor com esclarecimento político! Precisamos de um Governo 2.0, mas para isso, nós precisamos ser Eleitores 2.0!

E então? Ainda pensa em votar nulo?

 

Be Sociable, Share!

Você poderá gostar também:



16 Comentário(s) para este post

  1. Misa Disse:

    Algumas questões colocadas no texto são pertinentes outras nem tanto. Para ser sincero o texto pareceu bastante com comercial do governo “votem e exerça o seu papel de cidadão” “tire seu Título de Eleitor e mostre seu poder”. Concordo com tudo isso, todos deveriam votar conscientes e procurar sobre todos os candidatos. Todavia o exemplo que temos aqui é extremamente monárquico, onde o dito PODER passa de pai para filho. Outro ponto interessante é que quem vence as eleições não é quem tem as melhores propostas e sim quem tem mais capital (muitas vezes financiados pelo capital privado, que injetam milhões de Reais em políticos, isso claro sem querer nada em troca!). Um bom exemplo disso são as eleições de presidentes, onde cada um recebe milhões de apoio político, o mais engraçado é o seguinte, eles gastam mais dinheiro na eleição do que vão receber quando tiver ocupando o cargo público “isso é muito engraçado é como se eu fosse para uma entrevista de emprego com um terno que custaria 48X mais do que receberia.” Logo posso concluir que tem muita coisa errada no nosso país, e que no momento a coisa que tenho é VOTAR NULO e não continuar com essa palhaçada, colocada garganta abaixo na população.
    Outro exemplo
    • Fulano -3 votos
    • Beltrano – 5 votos
    • Cicrano – 2 votos
    Isso não mostra nada!
    • Fulano -2 votos
    • Beltrano – 5 votos
    • Cicrano – 2 votos
    • Votos nulos – 1 voto
    Isso continua não mostrando nada
    • Fulano -2 votos
    • Beltrano – 4 votos
    • Cicrano – 1 votos
    • Votos nulos – 3 votos
    Isso já mostra em certa medida insatisfação! E se fosse um político já começaria a se preocupar com essa postura popular.

    Lembrando que concordo com alguns pontos, outra coisa quando a população tem certeza em quem está votando isso é uma ótima postura cidadã.

  2. Felipe Disse:

    Misa,

    1 – Esse texto não é um panfleto do governo. Mas é justamente uma forma de mostrar que devemos lutar contra o que você disse que devemos lutar. Mas da maneira certa.

    Observe. Você disse:
    “• Fulano -2 votos
    • Beltrano – 4 votos
    • Cicrano – 1 votos
    • Votos nulos – 3 votos
    Isso já mostra em certa medida insatisfação! E se fosse um político já começaria a se preocupar com essa postura popular.”

    Não, não mostra. Sabe porque? Porque Beltrano iria ganhar disparado, no primeiro turno, iria ficar extremamente satisfeito e pouco se lixando para aqueles que deixaram os outros decidir por eles. Sabe porque pouco se lixando? Porque quem deixa os outros decidir não reclama. Apenas finge que reclama (e uma das formas de se fingir é votando nulo).

    Outros pontos levantados por você:

    2. “Todavia o exemplo que temos aqui é extremamente monárquico, onde o dito PODER passa de pai para filho.”

    – Isso porque ninguém tem interesse em pesquisar para saber quem foram os pais, quem são os filhos e o que eles andam fazendo por aí. Decidem anular antes mesmo de estudar.

    3. “Outro ponto interessante é que quem vence as eleições não é quem tem as melhores propostas e sim quem tem mais capital (muitas vezes financiados pelo capital privado, que injetam milhões de Reais em políticos, isso claro sem querer nada em troca!).”

    – E isso porque ninguém tem interesse em ver qual o papel do capital em cada candidato, quem está por trás de cada candidato, quem são os lobistas, etc. Preferem apoiar a ignorância, decidem de antemão anular o voto e como já está decidido, não precisam pesquisar na internet, ler jornais, assistir as propagandas eleitorais e os debates.

    4. “Logo posso concluir que tem muita coisa errada no nosso país, e que no momento a coisa que tenho é VOTAR NULO e não continuar com essa palhaçada, colocada garganta abaixo na população.”

    – Se para você, deixar que os outros decidam por você e deixar que os menos esclarecidos decidam os rumos do país é a única coisa que tenho, vou lhe dar uma boa notícia: não é!
    Você tem a seu favor o esclarecimento político. E uma das formas de usar isso a seu favor é lutando para que os outros também se eduquem – principalmente os que já desistiram antes mesmo de saber quem são os políticos à disposição nas eleições, por conta de mitos sobre o voto nulo e mitos sobre o fato de que não podemos mudar a realidade.
    Cara, quem desiste antes mesmo de começar é quem faz o país ficar nessa palhaçada. É quem fica dizendo por aí: “Nada vai mudar, é essa palhaçada sempre mesmo então prefiro nem pensar em política”. Estes são os que os políticos mais gostam, pois não precisam se preocupar com eles.
    Agora, quem não desiste, quem pensa, quem pesquisa, quem luta pela educação política, é quem no final das contas está batendo na porta da prefeitura, do governo, da casa do político, quando algo errado ocorre.

    Um exemplo foi o dia de ontem. Ontem foi o dia da Independência da Bahia. Um dia de muito protesto, onde o prefeito de Salvador nem mesmo compareceu, com medo das reações, e o governador teve que sair na metade do circuito comemorativo, por conta das vaias e protestos dos professores.
    Pense comigo: Quantos dos que estavam lá, na rua, votaram nulo? A grande maioria votou justamente no partido do Governador. Estes são os que mais protestam, pois exerceram o direito de pensar, de escolher e agora, mais do que nunca, se sentem no direito de reclamar.
    O comodismo do nulo nunca leva a isso.
    Pense nisso!

  3. paulo barreto Disse:

    Sinceramente tudo é balela a melhor opção é o fim do Voto obrigatório!
    pois democracia que se preza não obriga a ter um titulo eleitoral, liberdade é tudo!
    Em fim não vou perder meu domingo decidindo quem é mensos ladrão.
    No fim de tudo quem paga a conta e o contribuinte, independente de quem ganha o eleição.

    Plutocracia tó Fora!

  4. Felipe R. Disse:

    Olá Paulo,

    Infelizmente, não é tudo balela. Estamos falando de decisões que vão influenciar a vida de milhares de pessoas. Isso não é balela. Talvez seja para você, que tem uma vida confortável, bom salário, casa, chuveiro quente, acesso à internet, etc. Mas esse não é o caso da maioria. Dizer que é balela é simplesmente ignorar a situação atual do país e dizer: “que se dane quem sofre”. Não é um bom posicionamento.

    Sim, o voto é obrigatório. Talvez você tenha razão: a melhor opção é o fim do voto obrigatório.
    A minha pergunta a você é: Então porque você não exerce a democracia pela qual você tem direito, e age de acordo com o artigo 61 da Constituição Brasileira? Lhe explico.

    Se você acredita de fato que a MAIORIA (democracia envolve o que a maioria quer) deseja, assim como você, o fim do voto obrigatório, então basta criar um projeto de lei (você pode fazer isso), pedir para a maioria das pessoas darem a sua assinatura e enviar para aprovação.
    Nós já tivemos, salvo engano, quatro projetos de lei criados dessa maneira. O mais recente e popular é o projeto da ficha limpa.
    Alguém parou e pensou: “acredito que a maioria pensa como eu e acha que é melhor que políticos criminosos não possam mais se candidatar”. Essa pessoa criou o projeto, pegou a assinatura da maioria e pronto: o projeto foi aprovado e virou lei.

    Enquanto ninguém de fato AGE pelo fim do voto obrigatório, isso é sinal de que a maioria prefere como está: voto obrigatório.
    E democracia é, antes de tudo, respeitar a decisão da maioria. Liberdade em uma democracia não é Anarquia. É respeito e ordem. É ter o direito de levar uma pauta para a decisão e lutar pelo o que a maioria decidiu.

    Então, em nossa democracia, a situação atual aceita pela maioria é o voto obrigatório. E como agentes morais, responsáveis e éticos, devemos sim ir votar.
    Deixar de votar é simplesmente dizer: “Não me importo com quem sofre, com quem não tem plano de saúde como eu, com quem não tem água quente como eu nem com quem não tem salário fixo como eu. Por isso, não vou votar em menos ladrão nem nada. Vou continuar bebendo minha cervejinha no final de semana e reclamando na internet que não tenho liberdade alguma”.

    Eu prefiro respeitar e lutar por uma ação ética e moral. Agir em prol de quem precisa, em prol da maioria e em prol da democracia.
    Reclamar da “plutocracia” e deixar o voto para a maioria que tem mais dinheiro é simplesmente hipocrisia.

    Mas enfim… cada qual age de acordo com seus interesses: uns são mais egoístas, outros mais interessados em dinheiro e outros, de fato, interessados numa democracia funcional.

    Abraços!

  5. Hamilton Disse:

    Eu penso em votar nulo. Depois do ler esse texto , com certeza vou votar nulo. Sua matemática do voto nulo está equivocada. O voto nulo favorece um candidato, tanto quanto um voto válido não pensado ou válido porque alguém disse que é melhor que nulo ( o válido é o que conta). Não há garantias de quem perde é sempre o melhor ou pior candidato de forma a validar esse raciocínio. Assim, dizer que se todos passassem a votar válido, todos os candidatos bons se elegeriam e todos os candidatos ruins perderiam se torna uma falácia. Nem toda greve leva a um aumento de salário, nem toda reclamação é ouvida, nem todo amor é correspondido. A vida é assim. O protesto e a liberdade expressão são direitos. Se você dissesse vá as urnas e exerça o seu direito, não justifique seu voto para ficar em casa vendo TV, eu concordaria.

    Agora. Votar no menos pior é de lascar. Você pelo menos reconhece que estamos nessa encruzilhada. Mas votar no menos pior e voltar para casa celebrando a democracia e com a sensação de dever cívico cumprido me faz perder as esperanças nesse Brasil. Celebração da mediocridade para um país como nosso é de entristecer.

    Queiram me desculpar mas votar é um passo. Vote, proteste, trabalhe, divulgue, debata, ajude, construa, denuncie. Apertar uma sequência de números em uma máquina e achar que sua responsabilidade com a nação está acabada, sendo seu voto nulo ou válido, é fantasioso de qualquer jeito.

  6. William Leite Disse:

    É sabido e muitos nem se deram conta disto, mas a bem da verdade este modelo de politica que temos aqui é uma “roubada”.
    Não podemos votar nulo porque não resolve o problema, pois de qualquer jeito os canditos serão eleitos. Será que ninguem esta vendo isto. Continuam a indgnar-se e vão as urnas votar em todas as eleições com esta mesma balela de que os canditados são todos ruins, que não adianta escolher um ou outro, pois são todos iguais. E os canditados estão se lixando para todas estas fanfarronice dos proletários-eleitores, vão apossar de uma cadeira no poder pelo menos por quatro anos e vão mamar todo mês dos ricos salários e mordomias que eles mesmos criaram.
    E o povo, o povo que se f… pois estão mesmo acostumados com essa vidinha de gado..! ONDE ESTÃO OS HOMENS INTELIGENTES…. SOCORRO..! QUERO UM PAÍS LIVRE DE BANDIDOS.

  7. WELLINGTON Disse:

    nAO ANULO ESSA IDEIA. SABE PORQUE. HÁ 5 ELEIÇÕES VOTO NUO. hÁ 60 ANOS ESCUTO SAÚDE , EDUCAÇÃO, MORADA, SEGURANÇA. MORADIA TOU VENDO TA 10. EDUCAÇÃO TA 0. SEGURAÇA – -1000, TUDO ISSO EM JEITO. DEIXA A COPA ACONTECER, VOTE NULO DEPOIS, NADA DE TOCAR JOGO EM ONIBUS, POLICIAIS EM CIMA DE CIVIL DESPREPARADO, VOTE EM SILENCIO NULO. BRASIL PAIS RICO MUITO RICO. PRIMEIRO DO MUNDO. ROBALHEIRA MUITO. PROTESTE VOTE NULO. RIQUESAS NATURAIS, POVO GENTIL. CADE, ISSO MUDOU. PRESIDENTE MACHO, MUITO MACHO , JOAQUIM BARBOSA. o bRASIL TEM JEITO.

  8. Carlos Disse:

    Li o texto e confesso que é pura balela. Eu vou votar nulo e sabe por quê? Porque se o tal candidato menos pior vencer a eleição e uma vez eleito se corromper, eu não terei minha consciência pesada por ter votado nele. Minha consciência estará limpa por não ter votado nele.

  9. Tiago Disse:

    O problema não são só os candidatos. O verdadeiro problema é esta Constituição que serve os interesses de uma minoria da população. Porque razão o povo brasileiro não se junta e faz um impeachment e exige mudanças nesta Constituição ultrapassada, assim como nos Códigos Penais e Civis?
    É urgente mudar o “sistema”, pois enquanto não for mudado, os políticos vão continuar a ter as mesmas regalias absurdas e o cidadão comum sempre vai ser prejudicado e menosprezado. Acorda Brasil!!!

  10. Felipe R. Disse:

    Tiago,

    Antes de pedir pro povo acordar, é preciso entender algumas coisas:
    Quem faz a constituição e as leis é o legislativo. Ou seja, pedir impeachment de alguém do executivo não tem nada a ver com constituição e leis.
    Você se lembra em quem você votou para vereador? E para deputado e senador? Pergunta a seus candidatos do legislativo quais leis eles propuseram, quais mudanças de leis eles trabalharam. É esse pessoal que é responsável. A presidenta não tem nada a ver com mudança de leis. Apenas as sanciona. Mas para isso, alguém (o legislativo) tem que propor.

    Abraços

  11. Gustavo Disse:

    Simples, em vez de votar nulo não vote e pague a multa de R$3,50 assim não há favorecimento.

  12. Felipe R. Disse:

    Gustavo, Se você votar nulo, branco, não votar ou justificar, dá no mesmo. Seu voto contará como voto inválido, igualmente. :-)

  13. Sami Disse:

    “Mostre para os políticos quem realmente está no poder”

    Ainda tem gente que acredita nisso? [Editado por contar ofensas e agressões]

    E já que V.Sa. falou em ciberativismo, procure por uma pessoa chamada Evgeny Morozov e veja o que ele pensa a respeito dessa bazófia.

    [Editado por conter ofensas e agressões]

    Vamos ver se [editado por conter ofensas e agressões] vai publicar esse texto. Duvido muito. :)

  14. Felipe R. Disse:

    Olá Sami,

    Infelizmente não consegui ver um argumento em teu texto para que possa responder.
    E por uma questão de respeito aos leitores, tive que editar e remover todas as ofensas, agressões e palavrões.

    No mais, obrigado pela recomendação. Quando eu tiver um tempo darei uma olhada no assunto.

    Abraços

  15. Cicero Silva Disse:

    Em todo raciocínio há as premissas. Quem diz que voto nulo não é uma boa opção comete equívocos nas premissas.

    Vamos por partes:

    O TSE já decidiu que questionar a lisura do processo é má-fé e gera penalidades (RECURSO ORDINÁRIO N° 2.335 (43199-54.2009.6.00.0000) – TSE

    Os “cidadãos brasileiros” só podem votar em quem for vinculado a partido, sendo incabível a candidatura independente.

    Os partidos, em convenção, “escolhem” seus candidatos. Ou seja, para ser candidato, inicialmente, o sujeito tem que aderir ao esquema.

    Vamos ao meu umbigo:

    Não me considero cidadão, visto que o comecinho de cidadania implica democracia e liberdade. O voto é obrigatório. Então temos qualquer coisa, menos democracia (escrever aqui algo que ninguém lê – ou sequer admite – não me torna uma pessoa livre). Aliás, nesse particular estamos mais para a Coréia do Norte, onde todos votam e elegem – com 100%!!! – o democrático líder. Parecido com o apoio que a ex-presidentA teve de TODOS OS REITORES das universidades federais. Aliás, muito estranho esse apoio incondicional, mas isso é outro assunto.

    Não é uma questão de “menos pior”. É questão de VALIDAR ou não um sujo jogo.

    Democracia, vontade da maioria. Ok.

    – O que a sociedade pensa da maioridade penal?

    – Porte de arma? (aqui escolhemos que queremos ter o comércio livre. Ficou pior do que era. Mesmo manipulando, fazendo uma pergunta cheia de terceiras intenções. Ainda assim o governo NÃO RESPEITA o desejo da maioria).

    – Voto obrigatório?

    – Direito “dos manos”?

    Por que o governo seque admite a consulta popular para esses temas?

    Enfim, se você acredita que é cidadão, parabéns. Eu tenho certeza que não sou.

    E, na minha não-cidadania, na obrigação de viver nesse chiqueiro, quero ao menos poder dizer que NÃO, NÃO CONTE COMIGO PARA ESSA PALHAÇADA.

    Ah, não me enquadro no esteriótipo descrito aqui: passei fome (fome é não saber QUANDO, SE ou O QUE IRÁ comer. Não pular um almoço), frequentei uma grande universidade – UnB – onde fiquei com 43 quilos com uma maravilhosa dieta de não comer e caminhar 18 quilômetros diários devido não poder pagar ônibus nem almoço. Tudo documentado. Inclusive no meu atual trabalho, onde DEMOCRATICAMENTE o governo EXIGIU que eu declarasse minha RAÇA (WTF??) coloquei como AMARELO, por não concordar com o RECONHECIMENTO OFICIAL do governo brasileiro que Negro é inferior e só vai pra frente com AJUDA GOVERNAMENTAL. Amarelo pelo menos é visto pela nossa sociedade como um grupo que não precisa de ajuda.

    O que o povo precisa é vara de pescar e iscas (bibliotecas, esgoto, valorização do magistério, liberdade – inclusive de mercado).

    Você sabia que nós não temos sequer acesso ao mercado internacional de componentes eletrônicos?? Que praticamente tudo que consumimos é lixo para o resto do mundo?

    É nisso que votamos? É esse o sistema?

    Respeito as opiniões de cada um. É bom ter a própria opinião respeitada.

    E a minha é muito clara: NÃO a validação de um sistema que só produz aberrações (de mercado, de liberdade, de meritocracia).

    No dia do abate TEREI que ir a um posto, bancar meu papel de otário.

    Mas deixe que coloque pelo menos meu NULO a todo esse circo.

  16. Atleta Amador Disse:

    Eu estou em dúvida, pois ao mesmo tempo que penso igual a você, vejo que na prática, os poderosos estão no poder, e continuarão no poder. Quem domina o mundo são os grandes grupos econômicos. Os grandes candidatos, e certamente os vencedores, são financiados pelas empresas, e quando eleitos, tem uma conta para pagar.

    Se pelo menos não existissem as pesquisas, e as pessoas fossem votar livremente no candidato de sua escolha, haveria alguma chance de mudança. Mas cada um irá votar em um candidato, para o outro não ganhar. E nessa corrida, pelo menos aqui em São Paulo, a disputa está entre os 4 grandes, ou seja, nada mudará.

Deixe seu comentário